quarta-feira, junho 25, 2008

...

Dança, Dança, Dança de Haruki Murakami

"Cada ser humano atinge o seu apogeu de maneira diferente, num dado momento. Uma vez alcançado esse ponto alto, é sempre a descer. Fatal como o destino. E o pior é que ninguém sabe onde é que se situa o seu próprio auge. A linha divisória pode desenhar-se de repente, quando uma pessoa pensa que ainda estava a pisar terreno seguro. Ninguém tem maneira de saber. Alguns atingem esse pico aos doze anos, e depois espera-os uma vida perfeitamente monótona e sem chama. Outros continuam sempre em ascensão até à morte; outros morrem no seu máximo esplendor. Muitos poetas e compositores vivem em estado de permanente arrebatamento e estão mortos quando chegam aos trinta anos. Depois há aqueles, como é o caso de Picasso, que aos oitenta e muitos anos ainda pintava quadros cheios de vigor e teve uma morte tranquila, sem saber o que era o declínio. "

in "Dança, Dança, Dança" by Haruki Murakami

2 Comments:

Blogger pinguim said...

Muito interessante este texto e muito interessante o teu blog.
Vim retribuir a tua amável visita e vou com certeza, voltar.
Beijoquita.

25 junho, 2008 17:28  
Blogger carpe diem said...

pinguim...

Obrigada... Pertence ao livro que ando a ler agora!
Volta sempre que quiseres...

Beijo...

25 junho, 2008 19:39  

Enviar um comentário

<< Home