terça-feira, outubro 14, 2008

...

agora é todo meu... de MS

O amor é uma companhia

O amor é uma companhia.
Já não sei andar só pelos caminhos,
Porque já não posso andar só.
Um pensamento visível faz-me andar mais depressa
E ver menos, e ao mesmo tempo gostar bem de ir vendo tudo.

Mesmo a ausência dela é uma coisa que está comigo.
E eu gosto tanto dela que não sei como a desejar.
Se a não vejo, imagino-a e sou forte como as árvores altas.
Mas se a vejo tremo, não sei o que é feito do que sinto na ausência dela.

Todo eu sou qualquer força que me abandona.
Toda a realidade olha para mim como um girassol com a cara dela no meio.

Alberto Caeiro

4 Comments:

Blogger Marta said...

Dos heterónimos de Pessoa, Alberto Caeiro é o meu favorito...
Mais um grande poema!

Beijinhos

16 outubro, 2008 19:44  
Blogger carpe diem said...

marta...

Também é um dos meus preferidos ;)... E este poema é mesmo bonito :)...

beijinhos...

18 outubro, 2008 10:23  
Blogger Cátia said...

O Bernardo Soares é fantástico e o ortónimo é brilhante. Mas pronto, Pessoa é Pessoa. Por vezes até me esqueço que são mesmo.

18 outubro, 2008 17:43  
Blogger carpe diem said...

cátia...

Eu adoro Pessoa, e dos 3 principais o que me idenfico mais é o Alberto Caeiro e depois o Álvaro de Campos...
Mas Pessoa é Pessoa e é todo bom!!! ;)...

beijinhos...

21 outubro, 2008 12:23  

Enviar um comentário

<< Home