quinta-feira, dezembro 11, 2008

...

livre... de MS

"...Poder rir, rir, rir despejadamente,
Rir como um copo entornado,
Absolutamente doido só por sentir,
Absolutamente roto por me roçar contra as coisas,
Ferido na boca por morder coisas,
Com as unhas em sangue por me agarrar a coisas,
E depois dêem-me a cela que quiserem que eu me lembrarei da vida.

Sentir tudo de todas as maneiras,
Ter todas as opiniões,
Ser sincero contradizendo-se a cada minuto,
Desagradar a si próprio pela plena liberalidade de espírito,
E amar as coisas como Deus..."

Extrato de "Passagem das Horas" de Álvaro de Campos

3 Comments:

Blogger Cátia said...

Tenho saudades de... agarrar as coisas. Hoje em dia deixo-as simplesmente ir.

Beijo.

13 dezembro, 2008 16:36  
Blogger carpe diem said...

Cátia...

Sei o que é isso ;)...
Mas deixar ir também é bom... :)

beijinho...

15 dezembro, 2008 11:55  
Blogger Cátia said...

Tem dias... poucos.

16 dezembro, 2008 18:46  

Enviar um comentário

<< Home